Institucional

Tradicionalmente o IBRACON entrega anualmente durante o Congresso Brasileiro do Concreto, prêmios à personalidades que tenham contribuído significativamente para a divulgação e o progresso do conhecimento do concreto.

Apresentam-se a seguir as categorias dos prêmios oferecidos e os profissionais agraciados:

PRÊMIO "EMILIO BAUMGART"
Destaque do ano em Engenharia Estrutural

Nasceu em 25 de junho de 1889
Faleceu em 09 de outubro de 1943

Emílio Baumgart, catarinense de Blumenau, ficou conhecido no meio técnico nacional como o "O PAI DO CONCRETO ARMADO". Seus conceitos de cálculos inovadores e avançados são citados, internacionalmente, como fonte para as normas estrangeiras.

A engenharia nacional realizou obras representativas, como o Edifício do Ministério da Educação e Saúde, no Rio de Janeiro, projetado por Le Corbusier, Lúcio Costa e Oscar Niemayer, que certamente não teria sido possível sem a genealidade de Emílio Baumgart.

Outras de suas grandes obras são: Edifício do Hotel Central, Hotel Glória, Copacabana Palace e Ponte do Areal, todas no Rio de Janeiro. No Recife, construiu a ponte Mauricio de Nassau.
Em 1923, fundou o Escritório Técnico Emílio Baumgart de Cálculo e Projeto de Estrutura de Concreto Armado. Ele não se prendeu somente às obras tradicionais. Indo além, projeta obras inéditas como os atracadouros de hidroaviões da Panan, em concreto armado, no Brasil, Uruguai e África do Sul.

O Escritório Técnico Emílio Baumgart é, então uma verdadeira escola. Dele sairam grandes nomes da engenharia estrutural como Antonio Alves Noronha, Paulo R. Fragoso, Fernando Luiz Lobo Carneiro, Sergio Marques de Souza, Arthur Eugênio Jermann, entre outros.

Os agraciados até o hoje foram:


2016 - Eng. Augusto Guimarães Pedreira de Freitas
2014 - Suely Bacchereti Bueno 2012 - Sergio Hampshire de Carvalho Santos 2011 - Eduardo Barros Millen
2010 - José Roberto Braguim ( in memorian )
2009 - Guilherme Salles S. de A. Melo
2008 - Catão Francisco Ribeiro
2007 - Marcos Dutra de Carvalho 2006 - Nelson Covas
2005 - Júlio Timerman 2004 - Francisco Paulo Graziano 2003 - Benjamin Ernani Diaz 2002 - Fernando Rebouças Stucchi 2001 - Ricardo Leopoldo Silva e França 2000 - Joaquim Moreira Cardozo - Recife/PE ( in memorian ) Eduardo Christo Silveira Thomaz - Rio de Janeiro/RJ 1999 - Moacir Ubirajara Fraga Pereira Leite ( in memorian ) 1998 - Aluízio Fontana Margarido 1997 - Bruno Contarini 1996 - José Lourenço Braga de Almeida Castanho 1995 - Mário Jaime dos Reis Vila Verde 1994 - Sérgio Augusto Mangini 1993 - Gabriel Oliva Feitosa 1992 - Dante Angelo Osvaldo Martinelli 1991 - Aderson Moreira da Rocha 1990 - Lauro Modesto dos Santos 1989 - Arthur Luiz Pitta 1988 - José Zamarion Ferreira Diniz 1987 - Rubem Duffles de Andrade 1986 - Péricles Brasiliense Fusco 1985 - Mário Franco Humberto Fonseca (in memoriam) 1984 - Augusto Carlos de Vasconcelos 1983 - Antonio Carlos Reis Laranjeiras 1982 - Epaminondas Melo do Amaral Filho 1981 - Vitor Manoel de Souza Lima Fernando Luiz Lobo Carneiro 1978 - Telemaco Hyppolito de Macedo van Langendonck

PRÊMIO "ARY FREDERICO TORRES"
Destaque do ano em Tecnologia do Concreto

Nasceu em 01 de outubro de 1900
Faleceu em 09 de fevereiro de 1973

Ary Frederico Torres nasceu em Porto Alegre, filho do Sr. Cristiano Torres e de Isabel de Magalhães Torres. Fez seus estudos secundários em São Paulo. Ingressou na Escola Politécnica, onde diplomou-se engenheiro civil em 1923. Foi o primeiro aluno da turma e obteve como prêmio uma viagem à Europa.

Torres fundou o Instituto de Pesquisas Tecnológicas e foi seu primeiro diretor. Seus trabalhos de pesquisa sobre cimento e concreto foram decisivos para a melhoria e desenvolvimento de métodos da construção civil empregados no País. Publicou vários estudos sobre a dosagem racional dos concretos, ensaios e química do cimento, elasticidade dos metais entre outros.

Em 1936, os empresários da indústria do cimento convidaram o prof. Torres para organizar a Associação Brasileira de Cimento Portland - ABCP, da qual foi o primeiro Diretor-geral e, depois, presidente, até 1958. Em 1942, fundou a Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT, em colaboração com Paulo Sá. Foi o primeiro presidente da entidade, cargo que exerceu por vários anos, além de professor-catedrático da cadeira de materiais de construção da Escola Politécnica de São Paulo. O Prof. Torres era um homem de visão e capacidade de trabalho incomuns, abrangendo da engenharia à economia e administração de empresas. Foi o fundador e presidiu as empresas Brasinter S.A. Indústria e Comércio e a Companhia Brasileira de Material Elétrico-Cobrel.

Os agraciados até o momento foram:

        2015 - Adriana Falcochio Rivera
        2013 - Tatiana Cureau Cervo
2011 - Oswaldo Cascudo Matos
2008 - Newton Goulart Graça
2007 - Paulo Roberto Terzian
2006 - Geraldo Cechella Isaía
2005 - Paulo José Melaragno Monteiro 2004 - Rubens Machado Bittencourt 2003 - Luiz Prado Vieira Júnior 2002 - Selmo Chapira Kuperman 2001 - Paulo Roberto do Lago Helene 2000 - Luércio Scandiuzzi - São Paulo/SP José Augusto Braga - Foz do Iguaçu/PR 1999 - Flávio Moreira Salles 1998 - Maria Apparecida de Azevedo Noronha 1997 - Lídia da Conceição Domingues Shehata 1996 - Franciso de Assis Souza Dantas 1995 - José Zacharias Rodrigues da Silva Filho 1994 - Mário William Esper 1993 - Miguel Normando Abdalla Saad 1992 - Vladimir Antonio Paulom 1991 - Vicente Mário Visco Mattos 1990 - Luiz Alfredo Falcão Bauer 1989 - Curt Walter Otto Baugart 1988 - Wanderley Guimarães Corrêa 1987 - Bento Carlos Sgarboza 1986 - Simão Priszkulnik 1985 - Sérgio Simondi 1984 - Abílio de Azevedo Caldas Branco Francisco Rodrigues Andriolo Francis Robert Nugent 1983 - Wander Miranda de Camargo (in memoriam) Marcelo da Cunha Moraes 1982 - Hernani Sávio Sobral 1981 - Walton Pacelli de Andrade 1978 - Francisco de Assis Basílio

PRÊMIO "GILBERTO MOLINARI"
Destaque do ano em Reconhecimento aos serviços prestados ao IBRACON

 

Nasceu em 05 de dezembro de 1909
Faleceu em 25 de dezembro de 1974

Gilberto Molinari dedicou sua vida profissional ao Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo. Começou como funcionário administrativo em 1926. Formou-se em 1935 pela Escola Politécnica de São Paulo, quando, então, passa a ocupar o cargo de engenheiro assistente da Seção de Aglomerantes e Concretos.

Molinari foi assistente da cadeira de materiais de construção da Escola Politécnica, entre 1936 e 1958. Lecionou, também, nas Faculdades de Arquitetura e Urbanismo e na de Engenharia Industrial, da Pontifícia Universidade Católica. Deixou expressivo número de trabalhos publicados em revistas técnicas e boletins do IPT. Em seus artigos aborda aspectos tecnológicos relacionados aos aglomerantes, ou aos concretos. Existem entre seus trabalhos alguns relacionados a aspectos patológicos e técnicas de restauração.

Em 1972 passa a ser o primeiro presidente do IBRACON, permanecendo no cargo até o seu falecimento.

Os agraciados foram:


2015 - Inês Laranjeira da Silva Battagin 2013 - Ana Elisabete Paganelli de Ávila Jacinto
2011 - José Luiz Antunes de Oliveira e Sousa
2009 - Julio Timermam
2008 - Paulo Helene
2007 - Geraldo Cechella Isaia
2006 - José Zamarion Ferreira Diniz
2005 - Juan Fernando Matias Martins 2004 - Eduardo Figueiredo Horta 2003 - Waldomiro Almeida Júnior 2002 - Claudio Sbrighi Neto 2001 - César Zanchi Daher 2000 - Antônio Rodrigues Gallego ( in memorian ) 1999 - Luiz Prado Vieira Junior 1998 - Hugo da Costa Rodrigues Filho 1997 - Francisco F. Sanz Esteban 1996 - João Bosco Prado Ferrari 1995 - José Eduardo Kattar 1994 - Renato José Giusti 1993 - Paulo Roberto Amaro 1992 - Antonio René Camargo Aranha de Paula Leite 1991 - Ronaldo Tartuce 1990 - Argos Menna Barreto 1989 - Luiz Eduardo Back 1988 - Protásio Ferreira e Castro 1987 - Salvador Eugênio Giamusso 1986 - Rubens José Pedrosa Reis 1985 - Afrodizio Durval Gondim Pamplona 1984 - Yazuko Tezuka Dirceu Duarte Calegari Marcelo Braga Ignatti 1983 - Eduardo Antonio Serrano Sérgio Arthidoro Paes de Barros 1982 - Moema Ribas Silva Walmor José Prudêncio Angelo Roberto Néia Meneghelo 1981 - João Gaspar Djanikian 1978 - Osmar dos Santos Prata Aldo Valério Montresor

PRÊMIO "LIBERATO BERNARDO"
Destaque do ano como Tecnologista em Laboratório de Concreto

 

Nasceu em 21 de abril de 1907
Faleceu em 15 de março de 1977

Liberato Bernardo, uruguaio naturalizado brasileiro, ingressou no Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo - IPT em 1936. Aposentou-se como encarregado da Seção de Ensaios de Concreto da Divisão de Engenharia Civil.

No IPT foi instrutor de Falcão Bauer, que reproduziu suas palavras no prefácio do livro intitulado Patologia e Terapia do Concreto "O concreto só se conhece com as mãos".

Após aposentar-se no IPT, Liberato trabalhou na L. A. Falcão Bauer Centro Tecnológico da Construção, onde ajudou a formar jovens engenheiros tecnologistas do concreto. Atuou também como instrutor e professor no laboratório de materiais da Faculdade de Engenharia de Mogi das Cruzes.

Os premiados até hoje foram:


2016 - José Flauzino Moreira
2014 - Rubens Montanari 2012 - Celina Miki Yokoyama 2011 - Luiz Delfino Vieira Bertolucci
2009 - Eustáquio da Conceição Ferreira
2008 - José Antônio Santos Ribeiro Queiroz
2007 - Eurípedes Martins Fontes
2006 - Antonio Luiz de Lima
2005 - Adão Rodrigues da Silva 2004 - Pedro Carlos Bilesky 2003 - Valdemir Izidoro Pascoalim 2002 - José Bonifácio Balthazar 2001 - Gilmar Fabro 2000 - Clarindo Miguel da Silva - São Paulo /SP 1999 - Adilson Caldeira de Oliveira e Adones Thimoteo dos Santos 1998 - Reginaldo Mariano da Silva 1997 - José Carlos Alves 1996 - Francilino Fernandes Neto 1995 - Álvaro Ferraz 1994 - Shunji Takashima 1993 - Élcio Antônio Guerra 1992 - Luiz Renato Xavier Miranda 1991 - Venceslau Rabello 1990 - Benício Teodoro 1989 - Idário Domingues Fernandes 1988 - Angelo Derolle

PRÊMIO "ARGOS MENNA BARRETO"
Destinado ao destaque do ano em Engenharia de Construções

 

Nasceu em 18 de outubro de 1925
Faleceu em 26 de outubro de 1990

Argos Menna Barreto, paulista de Pirassununga. Cursou a Escola Militar de Realengo e em 1944 recebeu a patente de oficial da arma de Engenharia. Com o mesmo brilho com que freqüentou a Escola Militar, formou-se em Engenharia Civil pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

Como Engenheiro Civil, Menna Barreto trabalhou na Engenharia Badra Ltda. e na Engenharia de Fundações S/A. Foi também diretor da Sociedade Técnica de Construção Civil, Kosmos Engenharia, coordenador de Projetos da Hidroservice e secretário executivo da Associação Brasileira de Cimento Portland.

No magistério, destacou-se como professor de português, física e química da Escola Preparatória de Cadetes do Exército, em Campinas, São Paulo. Foi professor de mecânica dos solos e fundações da Faculdade de Itatiba. Presidiu o IBRACON entre 1985 e 1989 e foi seu vice-presidente a partir de 1989. Deixou vários trabalhos importantes para a engenharia civil nacional.

Recebeu a medalha Marechal Trompowsky do magistério e o prêmio Gilberto Molinari, do IBRACON.

Receberam o prêmio até hoje:


2015 - Murilo Cassol
2013 - Arcindo Vaquero y Mayor
2011 - Luiz de Brito Prado Vieira
2009 - Ricardo Muzzi Guimarães
2008 - Mário Lúcio Pinheiro
2007 - Miller Soares Rufino Pereira
2006 - Ramon Andréas Dória
2005 - Antonio Carlos Zorzi 2004 - Reinaldo Rodrigues Marins 2003 - Edson José Machado 2002 - Jorge Batlouni 2001 - Márcio Rocha Pitta 2000 - João Filgueras Lima 1999 - Paulo César de Souza Rangel 1998 - Oscar Costa 1997 - Renato do Valle Dourado 1996 - Humberto Rodrigues Gama 1995 - Carlos Reynaldo Camerato 1994 - Luiz Henrique Ceotto 1993 - Pedro Boscov 1992 - Carlos Geyer Rodrigues

PRÊMIO "FRANCISCO DE ASSIS BASÍLIO"
Destaque em Engenharia na região do evento

 

Nasceu em 01 de janeiro de 1909
Faleceu em 13 de abril de 1994

Francisco de Assis Basílio nasceu em Portugal, cursou a Escola Politécnica do Rio de Janeiro, graduado no ano de 1929. Em 1972 foi um dos sócios fundadores do IBRACON e transferiu ao Instituto o prestígio nacional e internacional adquirido ao longo de uma das mais brilhantes carreiras da Engenharia Brasileira.

Foi presidente do IBRACON de 1975 à 1977. Durante todos os anos manteve-se no Conselho Diretor, sempre com destacada atuação. Em 02/04/1990 foi aclamado membro honorário do IBRACON.

Exerceu distinguidas atividades, como: Professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, organizador dos cursos de Tecnologia do Concreto e Solo-Cimento, Diretor Técnico da Companhia de Anilinas e Produtos Químicos, Chefe do Laboratório de Ensaios de Materiais e Pesquisas Tecnológicas, Superintendente e Presidente do Conselho Técnico da Associação Brasileira de Cimento Portland.

Além do IBRACON, diversas entidades nacionais e internacionais tiveram a preciosa colaboração do Prof. Basílio. Os trabalhos publicados pelo Prof. Basílio chegam a 160, com temas relacionados aos cimentos, agregados, concretos, solo-cimento, barragens, pavimentos, pontes, segurança das estruturas, aeroportos, controle da qualidade e durabilidade das construções.

Em 1988 foi criado o Prêmio REIBRAC alusivo ao destaque do ano em Engenharia da Região de realização da Reunião Anual do IBRACON ( REIBRAC ).
Homenageando o ilustre professor Basílio, em 1998 o Prêmio destaque em Engenharia na Região do Evento foi associado ao nome do eminente professor.

Receberam o prêmio até hoje:


2016 - Profa. Sofia Maria Carrato Diniz
2015 - Sandra Regina Bertocini 2014 - George Maranhão 2013 - Acir Mércio Loredo-Souza
2012 - Paulo César Correia Gomes 2011 - Luiz Roberto Prudêncio Júnior
2009 - Moacir Hissayassu Inoue
2008 - Antônio Carlos Reis Laranjeiras
2007 - Luiz Carlos Pinto da Silva Filho
2006 - Paulo Roberto Amaro
2005 - Joaquim Xavier Correia de Andrade 2004 - Tuing Ching Chang 2003 - Sebastião Magalhães Carneiro (in memorian) Fernando Lordêllo dos Santos Souza 2002 - Mário Fox Drummond (in memoriam) Antonio Cesar Capuruço 2001 - Lyrant Mehl Filho 2000 - Marcelo Correia Alcântara Silveira 1999 - Minos Trócoli de Azevedo 1998 - Carlos Alberto Fragelli 1997 - 1996 - José Roberto Leme de Andrade 1995 - Marcello da Cunha Moraes 1994 - Enio José Verçoza 1993 - Eldon Londe de Mello 1992 - Luiz Renato Xavier de Miranda 1991 - José Ernesto Rudloff Manns 1990 - Hugo Alcantra Mota 1989 - Epaminondas Melo do Amaral Filho, Márcio Rocha Pitta e Telemaco Hipollyto de Macedo van Langendonck 1988 - Oscar Niemeyer e Abilio Soares Caldas Branco

PRÊMIO "EPAMINONDAS MELO DO AMARAL FILHO"
Destinado ao destaque em Engenharia no campo do Projeto e construção de concreto de Alto Desempenho (CAD).

 

Nasceu em 05 de abril de 1921
Faleceu em 29 de junho de 1998

Formou-se em 1944 no curso de Engenharia Civil pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). Em 1945 era engenheiro assistente da Seção de Cálculo de Obras de Arte do DER, onde projetou inúmeras estruturas de pontes, galerias e bueiros. Em abril de 1959 foi eleito Diretor Técnico da Construções e Comércio Camargo Corrêa S/A, onde realizou diversos trabalhos. Em 1978 passou a Consultor Técnico da Construções e Comércio Camargo Corrêa S/A. Em 1992 passou a Consultor Autônomo.

Fez parte de várias Associações como: ACI, I.E., ASTM, ex-Presidente e membro honorário do IBRACON, ex-Presidente e presidente honorário do CBGB, Medalha de mérito pelos relevantes serviços prestados à Engenharia, Arquitetura e Agronomia concedido pelo CONFEA, Presidente do Conselho Técnico da ABCP, entre outros. Proferiu diversos cursos e palestras inclusive no exterior e teve uma lista enorme de publicações tais como: Produção de Concreto Estrutural, Execução de Obras em Concreto Massa, Pontes - Métodos Construtivos, Estruturas de Concreto do Metrô de São Paulo em Águas Agressivas, Concreto Rolado, Concreto de Alta Resistência, Durabilidade dos Concretos, Recuperações e Aplicações em Estruturas de Concreto de Alto Desempenho, entre outros.

Receberam o prêmio até hoje:


2016 - Eng. Wanderlay Guimarães Corrêa 2015 - Carlos Amado Britez
2012 - José Samuel Giongo
Paulo Helene 2011 - Bernardo Fonseca Tutikian
2008 - Wellington Longuini Repette
2007 - Ricardo Leopoldo e Silva França
2006 - José Carlos Sussekind
2005 - Frank Guimarães Vaz de Campos 2004 - Geraldo Cechella Isaia 2003 - Jorge Luiz Christofolli 2002 - Eliron Maya Souto 2001 - Denise Carpena Coitinho Dal Molin 2000 - Murilo Miranda - Salvador/BA Jefferson Benedicto Libardi Libório - São Carlos/SP 1999 - Severino Marques Fernandes Filho e Luiz Gonzaga Mello

PRÊMIO "FALCÃO BAUER"
Destinado ao destaque em engenharia no campo das pesquisas do concreto e materiais constituintes.

 

Nasceu em 14 de setembro de 1921
Faleceu em 16 de abril de 1996

Formado pela Escola Politécnica em 1945 em Engenharia Civil. Trabalhou no SENAI, IPT, COSIPA, e como grande empreendedor que foi, descobriu há 43 anos, que o caminho a ser trilhado era o da QUALIDADE. Iniciou seu grande projeto de Qualidade na Indústria da Construção Civil, com laboratórios volantes montados em veículos que prestavam atendimento nas obras. Sua empresa foi o 1º laboratório privado nacional a obter credenciamento do INMETRO em 1983 e também do IBQN. Paralelamente às atividades desenvolvidas no Centro Tecnológico, Falcão Bauer sempre participou de Seminários, Comissões Técnicas, Congressos.

Além de Engenheiro foi um grande educador e despendia horas do seu tempo em Universidades e Centros Técnicos.

Preocupado com a produtividade na construção civil, com a melhoria das condições de trabalho e para minimizar desperdícios, Falcão Bauer desenvolveu vários projetos de ferramentas e instrumentos de obra, tais como carrinhos de mão, padiolas, enxadas e outros. Empreendedor incansável, Falcão Bauer conquistou fiéis colaboradores, os quais, pelo grande legado herdado, darão continuidade a seus projetos e idéias.

Receberam o prêmio até hoje:



2016 - Denise Carpena Coitinho dal Molin
2014 - Maria Alba Cincotto 2012 - Mônica Pinto Barbosa 2011 - Antonio Domingues de Figueiredo
2009 - Romildo Dias Toledo Filho
2008 - Eduardo de Moraes Rêgo Fairbairn
2007 - Nicole Pagan Hasparyk
2006 - Enio José Pazini Figueiredo
2005 - Roberto José Falcão Bauer 2004 - Luiz Roberto Prudêncio Júnior 2003 - Carlos de Oliveira Campos 2002 - José Celso da Cunha 2001 - Carlos Eduardo de Siqueira Tango 2000 - José Tadeu Balbo - São Paulo/SP 1999 - Ivan Ramalho de Almeida

PRÊMIO "FERNANDO LUIZ LOBO BARBOSA CARNEIRO"
Destinado ao destaque do ano como Pesquisador na área do Concreto Estrutural

 

Nascido em 28 de janeiro de 1913
Faleceu em 15 de novembro de 2001

Engenheiro civil desde 1934, formado na Escola Politécnica da Universidade do Brasil, atual Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, tendo recebido o Prêmio Gomes Jardim de melhor aluno do ciclo básico . Diplomou-se Doutor H. C., 1987 , Universidade Federal do Rio de Janeiro e Doutor H. C., 1994 , Universidade Federal da Bahia. Foi pesquisador do Instituto Nacional de Tecnologia durante 32 anos (1935 a 1967), precedidos de um estagio de l ano no Escritório Técnico Emilio H. Baumgart (ainda como aluno do 5o ano do curso de Engenharia Civil) , e com a realização simultânea de atividade profissional em cálculo de estruturas de concreto armado. Trabalhou como pesquisador e professor em tempo integral na Universidade Federal do Rio de Janeiro, de 1968 até a aposentadoria compulsória em dezembro de 1990, e depois disso como pesquisador e professor aposentado, até hoje, perfazendo assim um total de 31 anos, nesta segunda fase , e de 65 anos desde o estágio no escritório técnico Emilio H. Baumgart. Participou de Associações Nacionais e Internacionais, dentre elas: Academia Brasileira de Ciência; Academia Nacional de Engenharia; Instituto Brasileiro do Concreto; Clube de Engenharia; The Internacional Union of Testing and Research Laboratories for Materials and Structures; Comité Internacional du Béton; e Internacional Association of Bridge and Structural Engineering.

Receberam o prêmio até hoje:


2015 - Luiz Carlos Pinto da Silva Filho 2013 - Sofia Maria Carrato Diniz
2011 - Lídia da Conceição Domingues Shehata
2008 - João Bento de Hanai
2007 - Dario Lauro Klein
2006 - Américo Campos Filho
2005 - Túlio Nogueira Bittencourt 2004 - Mounir Khalil El Debs

PRÊMIO "OSCAR NIEMEYER SOARES FILHO"
Destinado ao destaque do ano como Arquitetura Profissional

 

Nascido em 15 de Dezembro de 1907
Faleceu em 05 de Dezembro de 2012

Oscar Niemeyer Soares Filho nasceu no Rio de Janeiro, em 15 de Dezembro de 1907, apenas 3 anos após a primeira obra brasileira construída em concreto armado, um sobrado em Copacabana.

Formou-se em Arquitetura, pela Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, em 1934.

Neste período, freqüentou o escritório do Arq. Lucio Costa e, em 1936, integrou a comissão para definir os planos da sede do Ministério da Educação e Saúde, no Rio de Janeiro, sob a supervisão de Le Corbusier, quando então apresenta a solução que foi adotada na construção do edifício.

Entre 1940 e 1944 projetou o conjunto arquitetônico da Pampulha, em Belo Horizonte, que se configura como um marco inicial e emblemático de sua extensa obra.

Depois, os conjuntos do Ibirapuera e Copan, tendo sido nomeado Arquiteto chefe da nova capital do país, Brasília.

Em 1972, abre um escritório técnico em Paris.

É autor de magníficas obras no Brasil e no exterior, como a sede do Partido Comunista Francês, a Universidade de Constantine, na Argélia, a sede da Editora Mondadori, em Milão, o Memorial da América Latina, em S.Paulo, o MAC de Niterói, o Teatro do Parque Ibirapuera, dentre tantas outras.

Recebeu inúmeras condecorações pela sua obra, como a Ordem de Comendador das Artes e Letrs e Medalha de Ouro, na Academia de Arquitetura de Paris, em 1982, o título de Doutor Honoris Causa da Universidade de S.Paulo, em 1995, e o Prèmio Leão de Ouro, na 6ª Bienal de Arquitetura de Veneza, em 1996, entre muitos outros prêmios, homenagens e condecorações.

É considerado o maior arquiteto brasileiro no uso do concreto.

Receberam o prêmio até hoje:


2016 - Samuel Kruchin 2015 - Nadir Curi Mezerani 2014 - Sérgio Teperman 2013 - Marc Boris Rubin
2012 - Luiz Eduardo Índio da Costa
2008 - Paulo Mendes da Rocha
2007 - Ruy Ohtake