Institucional

IBRACON - INSTITUTO BRASILEIRO DO CONCRETO

REGULAMENTO DA PREMIAÇÃO DE PROFISSIONAIS
(Aprovado pelo Conselho Diretor do IBRACON em 27 de junho de 2019)

CAPÍTULO I

Finalidade

Art. 1º - Premiar os profissionais de destaque no ano, em sua área de atuação, como reconhecimento à trajetória profissional, ao trabalho realizado e incentivo à sua continuidade.

Art. 2º - Cada uma das categorias de premiação tem sua denominação referida a uma personalidade técnica que representa a abrangência do prêmio concedido, como a seguir:
- Prêmio “Emílio Baumgart” :: Destaque em Engenharia de Projeto de Estruturas de Concreto
- Prêmio Ary Frederico Torres :: Destaque em Tecnologia de Estruturas de Concreto
- Prêmio Gilberto Molinari :: Destaque do Reconhecimento aos relevantes serviços prestados ao IBRACON
- Prêmio Liberato Bernardo :: Destaque em Tecnologista de Laboratório de Concreto
- Prêmio “Argos Menna Barreto” :: Destaque em Engenharia de Construções de Concreto
- Prêmio “Francisco de Assis Basílio” :: Destaque em Engenharia de Concreto na Região do Congresso
- Prêmio “Epaminondas Melo do Amaral Filho” :: Destaque em Engenharia e Tecnologia de Estrutura de Concreto de Alto Desempenho
- Prêmio “Luiz Alfredo Falcão Bauer” :: Destaque em Engenharia de Pesquisa em Tecnologia de Estrutura de Concreto
- Prêmio “Fernando Luiz Lobo Barbosa Carneiro” :: Destaque em Engenharia de Pesquisa em Estrutura de Concreto
- Prêmio “Oscar Niemeyer Soares S. Filho” :: Destaque em Projeto de Arquitetura de Concreto

CAPÍTULO II

Periodicidade da Premiação

Art. 3º - Os prêmios serão concedidos de forma alternada, divididos em dois grupos, e serão entregues nos Congressos Brasileiros do Concreto CBC, realizados pelo IBRACON em anos pares e ímpares, como disposto a seguir:

Grupo 1 (CBC realizado em anos pares):
• Prêmio “Emílio Baumgart”
• Prêmio “Gilberto Molinari”
• Prêmio “Liberato Bernardo”
• Prêmio “Francisco de Assis Basílio”
• Prêmio “Epaminondas Melo do Amaral Filho”
• Prêmio “Luiz Alfredo Falcão Bauer”

Grupo 2 (CBC realizado em anos ímpares):
• Prêmio “Ary Frederico Torres”
• Prêmio “Gilberto Molinari”
• Prêmio “Argos Menna Barreto”
• Prêmio “Francisco de Assis Basílio”
• Prêmio “Fernando Luiz Lobo Barbosa Carneiro”
• Prêmio “Oscar Niemeyer Soares S. Filho”

Art. 4º - Em data que antecede a realização do CBC, o IBRACON divulgará, através de seu site na internet, a relação de prêmios a serem concedidos no ano em curso. Essa relação de prêmios deverá ficar disponível por período maior que um mês.

CAPÍTULO III

Indicação de Profissionais

Art. 5º - Todos os sócios do IBRACON interessados em indicar um profissional, poderão fazê-lo seguindo os procedimentos indicados no site.
§ 1º : nas divulgações via website do IBRACON, deve aparecer o nome de cada indicado para cada prêmio apenas uma vez, para não caracterizar um processo eletivo quando, na verdade é indicação.

Art. 6º - A relação de profissionais indicados a cada ano para cada um dos prêmios a serem concedidos será recolhida, em data previamente estabelecida e divulgada na website do IBRACON, após o término do período de indicação dos premiados pelos sócios da Entidade.

CAPÍTULO IV

Comissão Julgadora e Critérios de Escolha dos Profissionais

Art. 7º - O IBRACON contará com uma Comissão Julgadora que terá a função de analisar, selecionar e preparar uma relação de profissionais indicados para receberem os prêmios, a partir das premissas estabelecidas neste Regulamento.

Art. 8º - A Comissão julgadora será formada pelos seguintes membros da Diretoria do IBRACON:
• Diretor 2º. Vice Presidente
• Primeiro 1º. Secretário
• Diretor Técnico
• Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento

Art. 9º - A Comissão Julgadora deve acompanhar o processo de indicação pelo site e receberá da secretaria do IBRACON, após o final do período de consulta aberto a todos os sócios da Entidade, a relação dos profissionais indicados.

Art. 10º - A Comissão Julgadora deve fazer uma primeira avaliação para verificar como cada um dos profissionais indicados atende aos quesitos a seguir relacionados, em função da natureza do prêmio:

• É sócio do IBRACON?
• Publicou livros técnicos ligados ao setor?
• Publicou práticas recomendadas IBRACON?
• Formou pesquisadores (orientador)?
• Recebeu outros prêmios de Entidades técnicas do setor?
• Presidiu ou participou de Entidade nacional ligada ao setor?
• Presidiu ou participou de Entidade internacional ligada ao setor?
• Participou de Comissões de Estudo da ABNT?
• Participou de Comissões Técnicas internacionais?
• É ou foi membro editor ou revisor de revistas da área?
• Participou de projetos ou construções de obras relevantes em concreto?
• Participou ou coordenou serviços de Controle de Qualidade do concreto em Laboratórios?
• Publicou artigo em revista nacional ou internacional reconhecida?
• Representou o Brasil em evento ou comissão internacional?
• É conferencista convidado com frequência?
• Tem patente ou desenvolveu algo inovador?
• Colabora voluntariamente com o IBRACON? (caso específico do Prêmio)?
• Tem reconhecimento técnico na região do CBC? (caso específico do Prêmio)?

§ 1º : Quando um profissional não sócio do IBRACON for indicado para ganhar um prêmio, for confirmado pela Comissão Julgadora e referendado pelo Conselho Diretor, a Diretoria do IBRACON deve, além do prêmio, dar a esse a profissional um título de sócio do IBRACON com a primeira anuidade quitada.

Art. 11 – Após a análise dos pontos a ponderar, a Comissão Julgadora seleciona os profissionais e indica no máximo dois candidatos para cada categoria a ser premiada.

Art. 12 - A Comissão Julgadora pode ainda fazer as indicações a seguir:
• Título de Sócio Honorário a profissional reconhecido do setor, nacional e / ou internacionalmente;
• Profissionais de destaque nas categorias onde não se tenha recebido nenhuma indicação pelo site do IBRACON durante o período estabelecido para esse processo, ou para os casos onde as indicações feitas na website não correspondam ao perfil do prêmio em questão.

Art. 13 - A Comissão Julgadora deve apresentar e submeter suas conclusões em reunião do Conselho Diretor do IBRACON que anteceda o CBC do ano em curso.

CAPÍTULO V

Deliberações finais

Art. 14 – O Conselho Diretor do IBRACON responde pela escolha final e homologação dos premiados, dentre os profissionais indicados pela Comissão Julgadora.
§ 1º . O Conselho do IBRACON não deve indicar novos profissionais, mas apenas deliberar quais os ganhadores dos prêmios a partir das indicações da Comissão Julgadora.

CAPÍTULO VI :: PREMIOS

§ 1º. PRÊMIO "EMILIO BAUMGART".
Destaque em Engenharia de Projeto de Estrutura de Concreto
Criado em memória do Eng. Emílio Baumgart, catarinense de Blumenau, que ficou conhecido no meio técnico nacional como o "O PAI DO CONCRETO ARMADO". Seus conceitos de cálculos inovadores e avançados são citados, internacionalmente, como fonte para as normas estrangeiras, graças à genialidade de Emílio Baumgart.
Algumas de suas grandes obras são: Edifício do Hotel Central, Hotel Glória, Copacabana Palace e Ponte do Areal, todas no Rio de Janeiro. No Recife, construiu a ponte Mauricio de Nassau. Em 1923, fundou o Escritório Técnico Emílio Baumgart de Cálculo e Projeto de Estrutura de Concreto Armado. Ele não se prendeu somente às obras tradicionais. Indo além, projetou obras inéditas como os atracadouros de hidroaviões da Panan, em concreto armado, no Brasil, Uruguai e África do Sul. O Escritório Técnico Emílio Baumgart foi uma verdadeira escola de projeto estrutural. Dele saíram grandes nomes da engenharia de estruturas de concreto como Antonio Alves Noronha, Paulo R. Fragoso, Fernando Luiz Lobo Carneiro, Sergio Marques de Souza, Arthur Eugênio Jermann, entre outros.
Este Prêmio é conferido a reconhecidos engenheiros projetistas profissionais de estrutura de concreto.

§ 2º. PRÊMIO "ARY FREDERICO TORRES"
Destaque em Tecnologia de Estruturas de Concreto
Criado em memória do Eng. Ary Frederico Torres que nasceu em Porto Alegre, e fez seus estudos secundários em São Paulo. Ingressou na Escola Politécnica da USP, onde diplomou-se engenheiro civil em 1923. Foi o primeiro aluno da turma e obteve como prêmio uma viagem à Europa.
Torres fundou o Instituto de Pesquisas Tecnológicas IPT, tendo sido seu primeiro diretor. Seus trabalhos de pesquisa sobre tecnologia de cimento e concreto foram decisivos para a melhoria e desenvolvimento de métodos da construção civil empregados no País. Publicou vários estudos sobre a dosagem racional dos concretos, ensaios, química do cimento, entre outros.
Em 1936, os empresários da indústria do cimento convidaram o Prof. Ary Torres para organizar e fundar a Associação Brasileira de Cimento Portland - ABCP, da qual foi o primeiro Diretor-geral e, depois, presidente, até 1958. Em 1942, fundou a Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT, em colaboração com Paulo Sá. Foi o primeiro presidente da ABNT, cargo que exerceu por vários anos, além de professorcatedrático da cadeira de materiais de construção da Escola Politécnica da USP. O Prof. Ary Torres foi um homem de visão e capacidade de trabalho incomuns, abrangendo desde o laboratório de pesquisa, à construção, projeto, economia e administração de empresas. Foi o fundador e presidiu as empresas Brasinter S.A. Indústria e Comércio e a Companhia Brasileira de Material Elétrico-Cobrel.
Este prêmio é conferido a reconhecidos engenheiros tecnologistas de materiais cimentícios, argamassas e concretos.

§ 3º. PRÊMIO "GILBERTO MOLINARI"
Reconhecimento aos relevantes serviços prestados ao IBRACON
Criado em memória do Eng. Gilberto Molinari que dedicou sua vida profissional ao Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo IPT. Começou como funcionário administrativo em 1926. Formou-se em 1935 pela Escola Politécnica da USP, quando, então, passa a ocupar o cargo de engenheiro assistente da Seção de Aglomerantes e Concretos.
Prof. Molinari foi assistente da cadeira de materiais de construção da Escola Politécnica da USP, entre 1936 e 1958. Lecionou, também, nas Faculdades de Arquitetura e Urbanismo FAU.USP e na de Engenharia Industrial, da Pontifícia Universidade Católica PUC.SP. Deixou expressivo número de trabalhos publicados em revistas técnicas e boletins do IPT. Em seus artigos aborda aspectos tecnológicos relacionados aos aglomerantes, argamassas e concretos. Também publicou trabalhos relacionados a aspectos patológicos e a métodos de restauração. Em 1972 foi eleito por unanimidade o primeiro presidente do IBRACON, permanecendo no cargo até o seu falecimento, em 1974.
Este prêmio é conferido a reconhecidos profissionais da área que tenham prestados serviços voluntários significativos e importantes à missão do IBRACON.

§ 4º. PRÊMIO "LIBERATO BERNARDO"
Destaque em Tecnologista de Laboratório de Concreto
Criado em memória do técnico Liberato Bernardo, uruguaio naturalizado brasileiro, que ingressou no Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo - IPT em 1936. Aposentou-se como encarregado da Seção de Ensaios de Concreto da Divisão de Engenharia Civil.
No IPT foi instrutor de Falcão Bauer, que reproduziu suas palavras no prefácio do livro intitulado Patologia e Terapia do Concreto "O concreto só se conhece com as mãos".
Após aposentar-se no IPT, Liberato trabalhou na L. A. Falcão Bauer Centro Tecnológico da Construção, onde ajudou a formar jovens engenheiros tecnologistas do concreto. Atuou também como instrutor e professor no laboratório de materiais da Faculdade de Engenharia de Mogi das Cruzes.
Este prêmio é conferido a reconhecidos técnicos de laboratório de concreto que não tenham curso superior e atuem na área há, pelo menos, dez anos.

§ 5º. PRÊMIO "ARGOS MENNA BARRETO"
Destaque em Engenharia de Construções de Concreto
Criado em memória do Eng. Argos Menna Barreto, paulista de Pirassununga. Cursou a Escola Militar de Realengo e em 1944 recebeu a patente de oficial da arma de Engenharia. Com o mesmo brilho com que frequentou a Escola Militar, formou-se em Engenharia Civil pela Escola Politécnica da USP. Como Engenheiro Civil, Menna Barreto trabalhou na Engenharia Badra Ltda. e na Engenharia de Fundações S/A. Foi também diretor da Sociedade Técnica de Construção Civil, Kosmos Engenharia, coordenador de Projetos da Hidroservice e presidente da Associação Brasileira de Cimento Portland ABCP.
No magistério, destacou-se como professor de português, física e química da Escola Preparatória de Cadetes do Exército, em Campinas, São Paulo. Foi professor de mecânica dos solos e fundações da Faculdade de Engenharia de Itatiba. Presidiu o IBRACON de 1985 a 1989. Deixou vários trabalhos importantes para a engenharia civil nacional. Recebeu a medalha Marechal Trompowsky do Magistério e foi agraciado com o prêmio Gilberto Molinari, do IBRACON.
Este premio “Menna Barreto” é conferido aos reconhecidos engenheiros profissionais e construtores de estruturas emblemáticas de concreto..

§ 6º. PRÊMIO "FRANCISCO DE ASSIS BASÍLIO"
Destaque em Engenharia de Concreto na Região do CBC
Criado em memória do Eng. Francisco de Assis Basílio que nasceu em Portugal, cursou a Escola Politécnica do Rio de Janeiro, graduado no ano de 1929. Em 1972 foi um dos sócios fundadores do IBRACON e transferiu ao Instituto o prestígio nacional e internacional adquirido ao longo de uma das mais brilhantes carreiras da Engenharia Brasileira. Foi presidente do IBRACON de 1975 a 1977. Durante todos os anos manteve-se no Conselho Diretor, sempre com destacada atuação. Em 02/04/1990 foi aclamado sócio Honorário do IBRACON, homenagem máxima do Instituto.
Exerceu distinguidas atividades, como: Professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, organizador dos cursos de Tecnologia do Concreto e Solo-Cimento da ABCP, Diretor Técnico da Companhia de Anilinas e Produtos Químicos, Chefe do Laboratório de Ensaios de Materiais e Pesquisas Tecnológicas da ABCP, Superintendente e Presidente do Conselho Técnico da ABCP.
Além do IBRACON, diversas entidades nacionais e internacionais tiveram a preciosa colaboração do Prof. Basílio. Os trabalhos publicados pelo Prof. Basílio chegam a 160, com temas relacionados aos cimentos, agregados, concretos, solo-cimento, barragens, pavimentos, pontes, segurança das estruturas, aeroportos, controle da qualidade e durabilidade das construções.
Este prêmio é conferido aos profissionais destacados e reconhecidos na atuação em concreto, na região onde ocorre o CBC daquele ano.

§ 7º. PRÊMIO "EPAMINONDAS MELO DO AMARAL FILHO"
Destaque em Engenharia e Tecnologia de Estrutura de Concreto de Alto Desempenho
Criado em memória do Eng. Epaminondas Melo do Amaral Filho que formou-se em 1944 no curso de Engenharia Civil da Escola Politécnica da USP. Em 1945 foi engenheiro assistente da Seção de Cálculo de Obras de Arte do DER, onde projetou inúmeras estruturas de pontes, galerias e bueiros. Em abril de 1959 foi eleito Diretor Técnico da Construções e Comércio Camargo Corrêa S/A, onde realizou diversos trabalhos. Em 1978 passou a Consultor Técnico da Construções e Comércio Camargo Corrêa S/A. Em 1992 passou a Consultor Autônomo.
Fez parte de várias Associações como: ACI, IE, ASTM, ex-Presidente e sócio Honorário do IBRACON, ex- Presidente e presidente honorário do CBGB, Medalha de mérito pelos relevantes serviços prestados à Engenharia, Arquitetura e Agronomia concedido pelo CONFEA, Presidente do Conselho Técnico da ABCP, entre outros. Proferiu diversos cursos e palestras inclusive no exterior e teve uma lista enorme de publicações sobre: Produção de Concreto Estrutural, Execução de Obras em Concreto Massa, Pontes - Métodos Construtivos, Estruturas de Concreto do Metrô de São Paulo em Águas Agressivas, Concreto Rolado, Concreto de Alta Resistência, Durabilidade dos Concretos, Recuperações e Aplicações em Estruturas de Concreto de Alto Desempenho, entre outros.
Este prêmio é conferido a reconhecidos engenheiros que tenham contribuído significativamente ao desenvolvimento, projeto e construção de estruturas de concreto de alto desempenho.

§ 8º. PRÊMIO "LUIZ ALFREDO FALCÃO BAUER"
Destinado ao destaque em Engenharia de Pesquisa em Tecnologia de Estruturas de Concreto
Criado em memória de Eng. Luiz Alfredo Falcão Bauer, formado pela Escola Politécnica da USP em 1945 em Engenharia Civil. Trabalhou no SENAI, IPT, COSIPA, e como grande empreendedor que foi, descobriu, que o caminho a ser trilhado era o da QUALIDADE. Iniciou seu grande projeto de Qualidade na Indústria da Construção Civil, com laboratórios volantes montados em veículos que prestavam atendimento nas obras. Sua empresa foi o 1º laboratório privado nacional a obter credenciamento do INMETRO em 1983 e também do IBQN. Paralelamente às atividades desenvolvidas no Centro Tecnológico, Falcão Bauer sempre participou de Seminários, Comissões Técnicas, Congressos.
Além de Engenheiro foi um grande educador e despendia, voluntariamente, horas do seu tempo em Universidades e Centros Técnicos.
Preocupado com a produtividade na construção civil, com a melhoria das condições de trabalho e para minimizar desperdícios, Falcão Bauer desenvolveu vários projetos de ferramentas e instrumentos de obra, tais como carrinhos de mão, padiolas, enxadas e outros. Empreendedor incansável, Falcão Bauer conquistou fiéis colaboradores, os quais, pelo grande legado herdado, estão dando continuidade a seus projetos e ideias.
Este prêmio é conferido aos reconhecidos engenheiros pesquisadores em tecnologia de materiais, argamassas e concretos

§ 9º. PRÊMIO "FERNANDO LUIZ LOBO BARBOSA CARNEIRO"
Destinado ao destaque em Engenharia de Pesquisa em Estrutura de Concreto
Criado em memória do Eng. Fernando Luiz Lobo Barbosa Carneiro, engenheiro civil desde 1934, formado na Escola Politécnica da Universidade do Brasil, atual Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, tendo recebido o Prêmio Gomes Jardim de melhor aluno do ciclo básico. Diplomou-se Doutor Honoris Causa H. C., 1987 na Universidade Federal do Rio de Janeiro e Doutor H. C., 1994 , na Universidade Federal da Bahia. Foi pesquisador do Instituto Nacional de Tecnologia INT durante 32 anos (1935 a 1967), precedidos de um estágio de um ano no Escritório Técnico Emilio H. Baumgart, e com a realização simultânea de atividade profissional em cálculo de estruturas de concreto armado. Trabalhou como pesquisador e professor em tempo integral na Universidade Federal do Rio de Janeiro, de 1968 até a aposentadoria compulsória em dezembro de 1990, e depois disso como pesquisador e professor associado, perfazendo assim um total de 31 anos, nesta segunda fase, e de 65 anos desde o estágio no escritório técnico Emilio H. Baumgart. Participou de Associações Nacionais e Internacionais, dentre elas: Academia Brasileira de Ciência; Academia Nacional de Engenharia; Instituto Brasileiro do Concreto; Clube de Engenharia; The Internacional Union of Testing and Research Laboratories for Materials and Structures; Comité Internacional du Béton; e Internacional Association of Bridge and Structural Engineering.
Este prêmio é conferido a reconhecidos engenheiros pesquisadores na área de projeto de estruturas de concreto.

§ 10º. PRÊMIO "OSCAR NIEMEYER SOARES S. FILHO"
Destinado ao destaque em Projeto de Arquitetura de Concreto
Criado em memória do Arq. Oscar Niemeyer Soares Filho que nasceu no Rio de Janeiro, em 15 de Dezembro de 1907, apenas 3 anos após a primeira obra brasileira construída em concreto armado, um sobrado em Copacabana. Formou-se em Arquitetura, pela Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, em 1934. Neste período, frequentou o escritório do Arq. Lucio Costa e, em 1936, integrou a comissão para definir os planos da sede do Ministério da Educação e Saúde, no Rio de Janeiro, sob a supervisão do famoso arquiteto suíço naturalizado francês, Le Corbusier, quando então apresenta a solução que foi adotada na construção do edifício.
Entre 1940 e 1944 projetou o conjunto arquitetônico da Pampulha, em Belo Horizonte, que se configura como um marco inicial e emblemático de sua extensa obra. Depois, os conjuntos do Ibirapuera e Copan, tendo sido nomeado Arquiteto chefe da nova capital do país, Brasília. Em 1972, abre um escritório técnico em Paris.
É autor de magníficas obras no Brasil e no exterior, como a sede do Partido Comunista Francês, a Universidade de Constantine, na Argélia, a sede da Editora Mondadori, em Milão, o Memorial da América Latina, em S.Paulo, o MAC de Niterói, o Teatro do Parque Ibirapuera, Hotel na Ilha da Madeira, dentre tantas outras.
Recebeu inúmeras condecorações pela sua obra, como a Ordem de Comendador das Artes e Letras e Medalha de Ouro, na Academia de Arquitetura de Paris, em 1982, o título de Doutor H.C. da USP, em 1995, e o Prêmio Leão de Ouro, na 6ª Bienal de Arquitetura de Veneza, em 1996, entre muitos outros prêmios, homenagens e condecorações. É considerado o maior arquiteto brasileiro no uso do concreto.
Este prêmio é conferido a renomados arquitetos profissionais que tenham projetado obras emblemáticas de concreto.

CAPÍTULO VII

Disposições Gerais e Transitórias

Art. 15 - Este Regulamento entrará em vigor na data da sua aprovação pelo Conselho Diretor do IBRACON.