Blog CONCRETO & Construções

Quais os concretos e fibras mais adequados para execução de pisos industriais?

Veja as especificações requeridas para o concreto reforçado com fibras para pisos industriais

Piso industrial de hospital

Independente da sua aplicação, o concreto para pisos industriais deve apresentar as seguintes características:

  • Teor de argamassa (relação entre as massas secas de cimento + agregado miúdo e cimento + agregados totais): entre 49% e 52% – exigência ligada ao acabamento do pisos: caso esse teor seja menor que 49%, o acabamento superficial pode apresentar agregados graúdos muito próximos da superfície; caso seja maior que 52%, pode levar à delaminação superficial;
  • Ar incorporado: inferior a 3% – caso seja mais elevado, o risco da delaminação superficial aumenta consideravelmente;
  • Exsudação: menor que 4% –  para a aplicação de aspersões cimentícias, é importante que haja uma pequena exsudação  para permitir a hidratação do cimento; valores maiores poderão interferir na resistência à abrasão;
  • Exsudação: menor que 4% –  para a aplicação de aspersões cimentícias, é importante que haja uma pequena exsudação  para permitir a hidratação do cimento; valores maiores poderão interferir na resistência à abrasão;
  • Resistências mecânicas: fck superior a 30 MPa, para aplicações mais comuns, ou superior, quando as solicitações abrasivas forem mais exigentes; resistência à tração na flexão mínima usual é de 4,2 MPa, mas dependendo dos agregados graúdos, que interferem bastante nessa propriedade, aceitam-se valores menores.
Execução de piso industrial

Segundo o diretor da LPE Engenharia e Consultoria, Eng. Públio Penna Firme Rodrigues, “algumas aplicações podem exigir características distintas, como resistência aos sulfatos ou outros ataques químicos, que devem ser analisados caso a caso”.

Tipos de fibras

Quanto às fibras, podem ser microfibras, para controle da retração plástica, ou macrofibras poliméricas e de aço, empregadas para conferir tenacidade ao concreto.

As macrofibras poliméricas podem ser encontradas em diversos modelos, marcas e tipos de polímeros, devem ser álcali-resistentes, para resistir ao meio básico do concreto. Já, as fibras de aço mais comuns são as de ancoragem nas extremidades, podendo ser coladas – de mistura mais fácil no concreto – ou soltas.

A função das fibras estruturais é permitir a formação de um material compósito, com matriz de ruptura frágil (concreto) e reforço dúctil; portanto, as fibras devem ser necessariamente dúcteis, fazendo com que o concreto reforçado com fibras seja dúctil, isto é, capaz de absorver energia, mesmo após o rompimento da matriz.

A característica emprestada pelas fibras, a tenacidade, irá variar em função do tipo, fator de forma e volume empregado das fibras. Como regra geral, as macrofibras poliméricas fornecem menores tenacidades do que as de aço, mas o uso de uma ou de outra é uma questão de critério de projeto.

Sobre o Autor

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Leia artigo/matéria na CONCRETO & Construções:

97

Posts Recentes

Daniel Véras Ribeiro

Pesquisador endossa a perspectiva de implantação de ensaios padronizados de durabilidade do concreto a partir das práticas recomendadas lançadas

Leia mais »