Blog CONCRETO & Construções

Seminários discutem os impactos das tecnologias digitais na construção

O Bim e o uso de tecnologias digitais no monitoramento de estruturas de concreto foram debatidos no 62ºCBC

Hani Nassif, diretor da Rutgers Infraestructure Monitoring and Evaluation Group

Os impactos das tecnologias digitais no projeto, execução, monitoramento e manutenção de obras de concreto foram apresentados e discutidos em dois seminários na modalidade virtual do 62º Congresso Brasileiro do Concreto, em setembro. O evento presencial será realizado de 30 de março a 02 de abril, em Florianópolis.

BIM no projeto estrutural

A Modelagem da Informação da Construção (do inglês Building Information Modelling – BIM) é um processo de intercâmbio de uma base de informações, comum, compartilhada e que cresce ao longo do tempo, relativas a componentes, materiais, peças, estruturas, sistemas e subsistemas de um empreendimento, capaz de gerar um modelo virtual em três dimensões do empreendimento, com suas características físicas e funcionais, e as inter-relações entre seus elementos e componentes.

Esse processo tem ganhado cada vez mais adeptos no setor construtivo, devido ao fato de que modelar um empreendimento, antes de construí-lo, traz redução de tempo e custos, maior integração dos profissionais envolvidos nas diferentes fases do empreendimento, racionalização de energia e recursos, melhorando, por conseguinte, sua produtividade e qualidade.

O tema foi debatido no I Seminário BIM em Projeto, Construção e Manutenção.

Tecnologias digitais para inspeção e monitoramento de obras

O monitoramento de uma obra representa segurança no canteiro durante sua construção, pois traz, em tempo real, dados sobre as condições de carregamento na estrutura, informando sobre sua integridade física e seu comportamento. Na fase de uso, o monitoramento permite avaliar, além da segurança estrutural, o desempenho em serviço e a durabilidade da obra. Além disso, o monitoramento ao longo da vida útil das obras traz informações valiosas para melhorar as especificações de projeto e calibrar modelos matemáticos de previsão de vida útil das estruturas.

Para que o monitoramento cumpra suas finalidades, ele precisa estar inserido dentro de um processo, formado pelas etapas de plano de instrumentação, instrumentação, coleta de dados, validação dos dados, predições probabilísticas de comportamento da estrutura, diagnóstico e prognóstico de manifestações patológicas, e ações de manutenção.

Os conceitos, processos, instrumentos e usos da inspeção e monitoramento de obras foram discutidos no VI Simpósio de Inspeção, Manutenção e Monitoramento de Estruturas Metro-ferroviárias, Rodoviárias e Hidroviárias.

Saiba mais, acessando a edição 99 da Revista CONCRETO & Construções.

Sobre o Autor

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Leia artigo/matéria na CONCRETO & Construções:

99

Posts Recentes

Daniel Véras Ribeiro

Pesquisador endossa a perspectiva de implantação de ensaios padronizados de durabilidade do concreto a partir das práticas recomendadas lançadas

Leia mais »

Samuel Kruchin

Arquiteto responsável pelo projeto arquitetônico da Praça Pamplona fala a CONCRETO & Construções sobre seus projetos

Leia mais »